Johann Sebastian Bach (1685 – 1750): Cantata BWV 140 "Acordai, os guardas chamam" (Wachet auf, ruft uns die Stimme)


 


Conteúdo: 1. História
2. Estrutura, texto e tradução
3. Versão portuguesa
4. Kit completo para download
5. Referências


O que Martinho Lutero é para os teólogos, especialmente da nossa igreja luterana, o Johann Sebastian Bach é para os músicos. Ele uniu a música em perfeição à palavra de Deus, espelhando a teologia, o amor de Deus e a fé verdadeira em suas obras magníficas. É uma honra, mas também uma grande responsabilidade saber que Bach era membro da nossa igreja evangélica luterana.
Por isso dedicamos muito tempo para aprender cantatas desse grande músico. A cantata 140 está embaseada no evangelho das dez virgens, que esperam o noivo. Por isso usa as três estrofes do hino 534 do  Hinário Luterano além de textos do Cântico dos cânticos, que espelham o grande amor entre Deus e a alma, como se fossem noivo e noiva.

Estátua de Hans Sachs em Nuremberga 
História
1. No início temos um famoso sapateiro Hans Sachs (Nuremberga, 5 de novembro de 1494 - Nuremberga, 19 de janeiro de 1576), que foi um poeta e compositor alemão.
Foi sapateiro de profissão, mas segundo a tradição medieval, para ser sapateiro tinha que passar pela aprendizagem e fazer uma prova, e entre as matérias colaterais se encontrou a música. Depois de alguns anos como oficial de sapateiro ou seja pedreiro, marceneiro, ourives, padeiro ou outro artesão um homem podia virar mestre na sua área através de outra prova. Só então tinha o direito de abrir o seu próprio negócio. Os mestres deram aulas para os aprendizes, e entre as matérias se encontrou a música, com destaque do canto. Com o tempo os artesãos se aperfeiçoaram muito e fizeram até competições de canto.
Hans Sachs é autor a mais de seis mil poemas, escritos no estilo
Cena de um filme sobre Hans Sachs
popular burgués típico do Meistersang (canto dos mestres), entre eles a famosa "Silberweise" ("Hino áureo") e "Wach auf, meins Herzens Schöne" ("Acordai, ó bela do meu coração"), um hino que não se refere, como poderia pensar, a uma menina, mas é um hino evangélico com que Hans Sachs queria contribuir pela reformação protestante de Martinho Lutero.
São notáveis também suas Farsas de Carnaval (1517-1563) e seu hino O rouxinol de Wittenberg (1523), dedicado a Lutero. Goethe engrandeceu-o e Richard Wagner fê-lo protagonista de Os maestros cantores de Nuremberga.

2. A famosa "Silberweise" (Hino áureo)foi transformada pelo pastor evangélico luterano Philipp Nicolai (1556 - 1608) no hino religioso "Wachet auf, ruft uns die Stimme" e continua até hoje em muitos hinários, em português sob o título "Acordai, os guardas chamam". (No Hinário Luterano do Brasil ele tem o número 534). Esse belo hino, na Alemanha, tem o apelido "O rei do hinário".
Philipp Nicolai é também o autor da "rainha do hinário", a que é o hino Wie schön leuchtet der Morgenstern.
O texto de "Wachet auf, ruft uns die Stimme" é baseado na parábola das dez virgens,[2] de Jesus, citada no Evangelho segundo São Mateus (25:1–13). A melodia e o início do texto baseiam na famosa "Silberweise" (Hino áureo) de Hans Sachs. Tradicionalmente é usado na igreja evangélica luterana mais no fim do ano eclesiástico, então no novembro. Também a igreja católica da Alemanha canta esse hino, mas mais na época do advento (antes do Natal).
Johann Sebastian Bach


3. O hino "Wachet auf, ruft uns die Stimme" foi transformado em uma cantata por Johann Sebastian Bach: Wachet auf, ruft uns die Stimme, BWV 140 (Acordai, chama-nos a voz, em alemão) é uma cantata de Johann Sebastian Bach que estreou em 25 de novembro de 1731 na Thomaskirche em Leipzig.[1] Escrita para trompa, 2 oboés, taille (um instrumento semelhante ao oboé da caccia, hoje muitas vezes substituído por um corne inglês), violino piccolo, violino, viola, baixo contínuo, e coro com soprano, tenor e baixo solistas.

Esta cantata é baseada no coral do mesmo nome de Philipp Nicolai. Este hino luterano continua popular hoje, tanto em seu original alemão como em uma variedade de traduções. O
Thomaskirche em Leipzig
texto se baseia na parábola das dez virgens (Mateus 25:1-13), uma leitura programada para o último domingo do ano
litúrgico, i.e. o último domingo antes do advento. Isso é na Europa nas regiões luteranas até hoje assim, mas no moderno Lecionário Comum Revisado a leitura está marcada para o domingo apropriado, ou o 32º domingo do Tempo Comum, no primeiro ano do ciclo de três anos.[4] Assim, o hino ou a cantata são comumente realizadas nas igrejas. O texto e seus temas escatológicos também são comumente associados a domingos do início do Advento.

Movimentos
  • I. Coral: Wachet auf, ruft uns die Stimme
  • II. Recitativo: Er kommt
  • III. Ária (dueto): Wann kommst du, mein Heil?
  • IV. Coral: Zion hört die Wächter singen
  • V. Recitativo: So geh herein zu mir
  • VI. Aria (dueto): Mein Freund ist mein!
  • VII. Coral: Gloria sei dir gesungen

Estrutura


Wachet auf, ruft uns die Stimme é uma cantata coral, sua melodia principal e os textos são elaborados a partir de um coral luterano: Auf Wachet, uns die Stimme ruft.
O primeiro movimento é uma fantasia coral com base no primeiro verso do coral, que é uma característica comum das cantatas de Bach.[5] O segundo movimento é um recitativo de tenor que precede o terceiro movimento, um dueto para soprano e baixo, com violino obbligato. No dueto, a soprano representa a alma e o baixo representa Jesus.[6]
O quarto movimento, baseado no segundo verso do coral, é escrito em uma estrutura de trio - sonata para os tenores do coro, caccia da oboé e contínuo. Mais tarde, Bach transcreveu este movimento para órgão (BWV 645), e foi posteriormente publicado junto com cinco outras transcrições da cantata como Os corais Schübler.
O quinto movimento é um recitativo para baixo, precedendo o sexto movimento, que é um outro dueto para soprano e baixo com oboé obbligato. Este dueto, como o terceiro movimento, é um dueto de amor entre a alma soprano e Jesus baixo. O movimento final, tal como acontece com muitas das cantatas de Bach, baseia-se no último verso do coral e é um harmonização a quatro vozes da melodia.


Texto e tradução literal

I. Coral
Wachet auf, ruft uns die Stimme
Der Wächter sehr hoch auf der Zinne,
Wach auf, du Stadt Jerusalem!
Mitternacht heißt diese Stunde;
Sie rufen uns mit hellem Munde:
Wo seid ihr klugen Jungfrauen?
Wohl auf, der Bräutgam kömmt;
Steht auf, die Lampen nehmt! Alleluja!
Macht euch bereit
Zu der Hochzeit,
Ihr müsset ihm entgegen gehn!

II. Recitativ
Er kommt, er kommt,
Der Bräutgam kommt!
Ihr Töchter Zions, kommt heraus,
Sein Ausgang eilet aus der Höhe
In euer Mutter Haus.
Der Bräutgam kommt, der einem Rehe
Und jungen Hirsche gleich
Auf denen Hügeln springt
Und euch das Mahl der Hochzeit bringt.
Wacht auf, ermuntert euch!
Den Bräutgam zu empfangen!
Dort, sehet, kommt er hergegangen.

III. Ária (duet)
Sopran: Wenn kömmst du, mein Heil?
Bass: Ich komme, dein Teil.
Sopran:Ich warte mit brennendem Öle.
Eröffne den Saal Zum himmlischen Mahl
Bass:Ich öffne den Saal Zum himmlischen Mahl
Alma: Quando chegarás, minha salvação?
Jesus: Estou chegando, parte de ti que sou.
Sopran: Komm, Jesu!
Bass: Komm, liebliche Seele!

IV. Coral
Zion hört die Wächter singen,
Das Herz tut ihr vor Freuden springen,
Sie wachet und steht eilend auf.
Ihr Freund kommt vom Himmel prächtig,
Von Gnaden stark, von Wahrheit mächtig,
Ihr Licht wird hell, ihr Stern geht auf.
Nun komm, du werte Kron,
Herr Jesu, Gottes Sohn!
Hosianna!
Wir folgen all
Zum Freudensaal
Und halten mit das Abendmahl.

V. Recitativ
So geh herein zu mir,
Du mir erwählte Braut!
Ich habe mich mit dir
Von Ewigkeit vertraut.
Dich will ich auf mein Herz,
Auf meinem Arm gleich wie ein Siegel setzen
Und dein betrübtes Aug ergötzen.
Vergiß, o Seele, nun
Die Angst, den Schmerz,
Den du erdulden müssen;
Auf meiner Linken sollst du ruhn,
Und meine Rechte soll dich küssen.

VI. Aria (duet)
Seele:Mein Freund ist mein,
Bass:Und ich bin sein,
beide:Die Liebe soll nichts scheiden.
Seele:Ich will mit dir in Himmels Rosen weiden,
Bass:du sollst mit mir in Himmels Rosen weiden,
beide:Da Freude die Fülle, da Wonne wird sein.

VII. Coral
Gloria sei dir gesungen
Mit Menschen- und englischen Zungen,
Mit Harfen und mit Zimbeln schon.
Von zwölf Perlen sind die Pforten,
An deiner Stadt sind wir Konsorten
Der Engel hoch um deinen Thron.
Kein Aug hat je gespürt,
Kein Ohr hat je gehört
Solche Freude.
Des sind wir froh,
Io, io!
Ewig in dulci jubilo.

I. Coral
Despertai, chama-nos a voz
Do vigia do alto da muralha.
Despertai, Jerusalém!
Os sinos batem a meia-noite
E chamam-nos com bocas brilhantes:
Onde estais, virgens prudentes?
Celebrai, o noivo está vindo.
Levantai-vos, pegai vossas lâmpadas! Aleluia!
Preparai-vos
para as bodas
Deveis encontrá-lo!

II. Recitativo
Ele está vindo, ele está vindo,
O noivo está vindo!
Saí, ó filhas de Sião!
Ele vem correndo do alto
para a casa de vossa mãe.
O noivo está vindo, tal como um corço,
Tal como um jovem cervo
A saltar pelas colinas
Trazendo a ceia matrimonial.
Despertai,
Alegrai-vos para receber o noivo
Ali, vede, ele está chegando!

III. Ária (dueto)
Soprano: Se você vem, minha salvação?
Bass: Eu sou a tua parte.
Soprano: Espero com queima de petróleo.
Abra o salão para o banquete celestial
Bass: Eu abro a sala para o banquete celestial
Alma: chegarás Quando, Minha Salvação?
Jesus: Estou chegando, sou parte de ti que.
Soprano: Vem, Jesus!
Bass: Vem, alma doce!

IV. Coral
Sião ouve o vigia cantar.
O coração pula de alegria.
Ela desperta e levanta-se apressada.
Magnífico, seu amigo vem do Céu;
A graça o faz forte,
A verdade o faz poderoso.
A luz de Sião fulge, sua estrela sobe.
Venha, pois, preciosa coroa,
Senhor Jesus, filho de Deus.
Hosana!
Seguimos todos
Ao salão da celebração e tomamos parte na ceia.

V. Recitativo
Entra, pois, e vem até mim
Ó noiva que escolhi!
Confio-me a ti
Por toda a eternidade!
Por-te-ei em meu coração
E em meu braço como a um selo
E deleitarei teus olhos perturbados.
Esquece, ó alma, pois,
O medo e a dor
Que tiveste que sentir.
Repousarás em minha mão esquerda
E minha mão direita te beijará.

VI. Aria (dueto)
Alma:Meu amigo me pertence!
Jesus:E eu sou teu.
Ambos:Nada se interporá entre nosso amor!
Alma:Deleitar-me-ei com as rosas do Céu contigo.
Jesus:Deleitar-te-ás com as rosas do Céu comigo.
Ambos:Lá haverá plena alegria e delícias!

VII. Coral
Que tua glória seja cantada
Por línguas de homens e de anjos
Com harpas e címbalos.
De doze pérolas são as portas
Da tua cidade; somos semelhantes
Aos anjos que cercam teu trono.
Nenhum olho sentiu,
Nenhuma orelha ouviu
Alegria como essa
Que gozamos.
Io io
Para sempre em doce júbilo!

Vídeo: Johann Sebastian Bach: Cantata 140 "Acordai, os guardas chamam", versão portuguesa.
Coral Esperança, Outubro 2012, Rosiane Kill Queiroz, Soprano; Ângela Fach, Meio-soprano;
Carlos Alexandre Kehlert, Baixo; Maestro Axel Bergstedt

 


Versão portuguesa de Axel Bergstedt, (quatro partes)

1. Coro

Acordai, os guardas chamam,
Com voz vibrante nos conclamam,
Desperta, ó tu, Jerusalém.
Eis que meia noite soa,
Retumba voz e longe soa,
Prudentes virgens, Cristo vem.
As lâmpadas tomai,
Às pressas o encontrai,
Aleluia,
Acesa a fé
Em prontidão
Esteja vosso coração. (Hinário Luterano Nº 534, 1)

2. Solo do Tenor
Ouve a igreja jubilante
Dos guardas canto retumbante,
Levanta e está em prontidão.
Vem da glória seu Esposo,
Fiel em graça e poderoso.
Rompeu a aura de Sião!
Bendito Salvador,
Vem logo, ó bom Senhor –
Aleluia!
Seguimos já
Celeste luz,
Que as tuas bodas nós conduz.
(Hinário Luterano Nº 534, 2)

3. Duetto de Soprano e Baixo
Soprano (= a noiva, a alma, a igreja): Amigo meu,
Baixo (= Jesus, o noivo): E eu sou teu
Juntos: Ninguém não apaga o amor

Soprano (= a noiva, a alma, a igreja): Contigo estarei
Baixo (= Jesus, o noivo): Estás comigo
Juntos: Em pasto verdejantes,

Soprano (= a noiva, a alma, a igreja): A rosa de Sarom
Baixo (= Jesus, o noivo): O lírio entre os vales
Juntos: e entre os flores andamos.
Prazer e regozijo teremos ali.
(palavras do Cântico dos cânticos de Salomão)

4. Hino do Coral
Glória seja a Ti cantada,
Por nós e os anjos entoada
Com harpas em sonoro tom.
Gloria a ti, que nos confortas!
De doze perlas são as portas
Da nossa eterna habitação.
Jamais um olho viu,
Nenhum ouvido ouviu
Tal ternura!
Queremos nós a Ti cantar
Mil Aleluias sem cessar.
(Hinário Luterano Nº 534, 3)


Playback, kit e partituras
pedidos: axelbergstedt@gmail.com
ou através do 4share
http://www.4shared.com/zip/cm_c-Fo1ce/Bach_Cantata_140_Kit.html?

Referências
  1. Christoph Wolff, Johann Sebastian Bach: The Learned Musician (W. W. Norton & Company, 2000), 280. ISBN 0-393-04825-X
  2. The Lutheran Church—Missouri Synod, Hinário Luterano (Concordia Publishing House, 2006), xxi. ISBN 0-7586-1217-6
  3. De acordo com Wolff (p. 280), a cantata foi realizada somente uma vez (25 de novembro de 1731) durante o mandato de Bach no Thomaskirche em Leipzig, embora no 27º domingo após a Trindade de 1742, tenha ocorrido novamente.
  4. Lutheran Service Book, xv.
  5. Ver também: Wie schön leuchtet der Morgenstern, BWV 1, Nun komm, der Heiden Heiland, BWV 61, Sie werden aus Saba alle kommen, BWV 65, e Ein' feste Burg ist unser Gott, BWV 80, entre outras.
  6. Donald Grout and Claude Palisca, Norton Anthology of Western Music: Volume 1—Ancient to Baroque, 4th ed. (New York: W. W. Norton & Company, 2001), 547. ISBN 0-393-97690-4